X
    Dicas 22 de agosto de 2017

    Nem sempre ter somente conhecimentos sobre uma determinada região te faz ser um ótimo profissional, até porque, esta é uma das básicas funções de um guia de turismo. Nós queremos que você seja diferenciado, que invista na sua empresa (você) e para isso trouxemos alguns cursos que poderão ser encontradas em sites de buscas, livros, […]

    Educação 6 de outubro de 2017

    A era digital chegou na educação e está simplificando cada vez mais a maneira de apreender, tornando o impossível acessível. Confira as dicas de cursos sobre empreendedorismo, finanças pessoais, formalização de empresas etc.

    Escrito por Redatores de Ideias
    Postado em 17 de agosto de 2017, na categoria Redatores de Ideias

    Minha história com o turismo começou, talvez, como uma das formas mais comuns por aí – com a certeza de que precisava ingressar logo no ensino superior, mas sem saber o que me atraia de verdade. Quando ouvimos isso de alguém, esperamos por pelo menos dois desfechos possíveis: Um, a pessoa não se identifica com o curso escolhido e acaba saindo, mais tarde descobrindo o seu grande amor acadêmico no horizonte. Ou dois, a pessoa persiste, mas não sente nada pelo curso além da obrigação de se formar logo.

    Pois bem, comigo aconteceu aquele plot twist, quando o desfecho óbvio se aproxima e então tudo muda radicalmente, te deixando sem palavras e sem saber com quantas estrelinhas daria. Como um caso de exceção de casamento arranjado nos anos 50, onde o amor acaba surgindo de verdade depois de um tempo. Novamente, uma exceção.

    Eu me identifiquei com o turismo. Sempre tive uma inclinação por coisas que demandassem certo dinamismo, já que perco interesse com muita facilidade na rotina, mas nunca havia pensado na ideia de turismo como ensino superior. Em parte, isso aconteceu porque eu nem sabia que esse curso existia na minha cidade, e também porque não conhecia ninguém que tivesse feito e que pudesse, talvez, me ajudar – enfrentei o mesmo problema quando fui pesquisar na internet sobre o curso e tive medo do que essa escassez de informações pudesse significar. Mas dei uma chance, fui de coração e mente aberta.

    Antes de continuar, eu queria passar algumas das minhas impressões a respeito do ‘’amor’’. Para mim, o amor é um processo e deve ser construído a partir de certos esforços, desde que não ultrapassem os limites do que lhe faz bem. Quando as pessoas me falam que, por exemplo, ingressaram na faculdade e de cara já sabiam o que queriam, e que foi amor à primeira vista, eu fico com um pé atrás. Não estou dizendo que isso não exista, mas para mim, essa esses são casos singulares que a sociedade estabelece como padrão e espera de todo mundo. Ninguém é igual, ninguém sente do mesmo jeito que o outro, ninguém tem os mesmos hábitos ou foi criado da mesma forma que o outro, então por que esperar que todos se apaixonem perdidamente pelo seu curso logo de cara?

    É claro que se identificar e gostar do que estuda é determinante para o seu futuro profissional, mas não necessariamente quer dizer que isso vá acontecer imediatamente. Eu construí a minha relação do turismo. Quando entrei na faculdade em 2015, eu era completamente diferente do que sou hoje em 2017. Eu amadureci muito, conheci novas pessoas, novas realidades, saí do meu meio e agora me sinto muito mais confiante para encarar novos desafios dentro e fora do meu curso.

    Esse texto talvez não tenha muito um tema central estabelecido, mas o que eu quero dizer é que está tudo bem se você não tiver certezas absolutas. Está tudo bem se você quiser se arriscar, porque de uma forma ou de outra você irá acabar saindo com o que é o bem mais valioso dessa vida, que são as experiências, e isso ninguém poderá tirar de você.


    Quem escreveu? Nathalia Saravy, graduanda em Turismo e Hotelaria pela Universidade Estadual da Bahia e articulista em progresso.
    Contatos: nathaliasaravy@hotmail.com

    Deixe uma resposta

    Seu email não será publicado.



    *

    1. Bárbara Nauane em 18 de agosto de 2017

      Olá, sou estudante de Turismo da Universidade de Brasilia, adorei seu texto, assim como você entrei na Graduação em 2015 e nem de longe a minha relação com o Turismo foi amor a primeira vista, na verdade foi bem da maneira que você descreveu quase um “cair de paraquedas”, porém hoje a mais ou menos um ano para me formar estou apaixonada pelo curso e principalmente pelo Turismo Digital. Continue contando sobre sua experienciarias, é sempre bom saber de alguém que passa pelas mesmas coisas que eu ! kkkk

      • Nathalia Saravy em 20 de agosto de 2017

        Obrigada pelo comentário, Bárbara <3 De fato, precisamos desmistificar muitas coisas em relação a graduação,e eu vou tentar fazer a minha parte hahaha, beijinhos.

    Receba toda semana nossas dicas,
    entrevistas e ideias pra você inserir no turismo e na sua carreira.

  • Tá Tendo Evento

    A gente te conta quais os eventos estão acontecendo por aí pra você se programar com calma.
  • Inseri uma Ideia

    Fique de olho nas empresas fundadas e gerenciadas por turismólogxs. A próxima pode ser a sua!
  • Protagonismo

    Nossas dicas de currículo, entrevista e branding pessoal pra você.
  • |