X
    Escrito por Danielle Jardim
    Postado em 7 de setembro de 2017, na categoria Protagonismo

    Em algumas situações existe um alto número de candidatos e uma oferta baixa de vagas, como também o contrário. Um desses fatores pode ser relacionado a tendência evolutiva de determinadas funções.

    Como exemplo, podemos dizer que a tendência evolutiva da função de um agente de viagens é que este profissional esteja cada vez mais conectado (online e fisicamente) com os principais aplicativos, transportes e novas maneiras de se hospedar, para que sua função não se torne obsoleta com a chegadas dos aplicativos e sites que “fazem tudo” durante as viagens. Se há um número cada vez maior de pessoas cadastrados no Facebook e Instagram, isso quer dizer que existe uma necessidade cada vez maior de você como profissional se manter conectado diretamente com seus clientes.

    No livro Gestão do Fator Humano, de Darcy Mitiko Mori Hanashiro com outros autores, o autor exemplifica com a seguinte situação:

    Os noticiários informam com frequência as alterações de clima que ocorrem no mundo, nos dando a entender que será cada vez mais difícil prevê-las no futuro e isto poderá ter um grande impacto em profissões relacionadas a estas alterações, como o agronegócio, como ele exemplifica.

    Assim pode acontecer também no turismo e a melhor maneira de se precaver é estudar o mercado pretendido, se manter antenado as notícias. Um exemplo no turismo é a hotelaria no Rio de Janeiro, que está passando por uma forte crise, apesar de muitos negarem ou fingirem desconhecer. Muitos sites noticiam a baixa ocupação permanente e número excessivo de demissões, então será que se candidatar para um cenário tão incerto no momento é uma opção? Talvez não seria uma área para investir em outro país, por exemplo?

    Este pode ser o motivo de você não está conseguindo um lugar no mercado ou se recolocar nele. Se a tendência evolutiva da função que ocupa ou deseja ocupar não estiver de acordo com as mudanças constantes que nos cercam.

    NA PRÁTICA

    Antes de investir na função que deseja pesquise como está o seu mercado. Como no exemplo retirado do livro, busque informações em revistas, jornais, artigos e pesquisas. Dependendo da função, existem até mesmo associações específicas que podem dar esta visão mais clara do cenário atual, como os guias que possuem a ABGTUR (Associação Brasileira dos Guias de Turismo), no marketing a ABMN (Associação Brasileira de Marketing e Negócios), na hotelaria a ABIH ( Associação Brasileira da Indústria de Hoteis) e assim por diante. Grupos no facebook e sites sobre vagas também podem te dar uma visão do que as empresas buscam e quanto elas estão dispostas a pagar em troca, assim você pode fazer um levantamento se a oferta é maior que a demanda ou o contrário. Se tiver mais candidatos que vagas, será que vale a pena investir nessa função? E se ainda sim quiser investir, como você pode se diferenciar?

    Deixe uma resposta

    Seu email não será publicado.



    *

    Receba toda semana nossas dicas,
    entrevistas e ideias pra você inserir no turismo e na sua carreira.

  • Tá Tendo Evento

    A gente te conta quais os eventos estão acontecendo por aí pra você se programar com calma.
  • Inseri uma Ideia

    Fique de olho nas empresas fundadas e gerenciadas por turismólogxs. A próxima pode ser a sua!
  • Protagonismo

    Nossas dicas de currículo, entrevista e branding pessoal pra você.
  • |