X
    Escrito por Danielle Jardim
    Postado em 29 de novembro de 2017, na categoria Dicas

    A Internet das Coisas chegou para ficar no turismo e se você ainda acha que este é um tema futurista, saiba que ela já faz parte do nosso cotidiano como turismólogos e como turistas.

    Uma curiosidade é que a IoT (sigla para Internet of Things, em inglês) tem uma semelhança peculiar com o turismo: assim como a nossa atividade, a Internet das Coisas pode estar relacionada com tudo!

    E o que é este termo que já faz parte do seu cotidiano e como ele impacta fortemente na sua profissão? Vamos juntos entender o conceito na prática!

    O que você vai ver neste post?

    O que é a Internet das Coisas
    Como funciona a Internet das Coisas
    Como a Internet das Coisas se relaciona com o Turismo
    3 exemplos de aplicações da IoT
    O Futuro da segurança e da privacidade

    O que é a Internet das Coisas?

    É a integração de diversos elementos que se beneficiam da internet em prol de um objetivo. Você pode ter exemplos simples diretamente da sua casa, quando você usa seu telefone, tablet, smartv TV para assistir suas séries e se conectar a internet.

    Ou seja, é a comunicação integrada de sensores, chips e qualquer outro tipo de tecnologia, nos objetos que utilizamos diariamente em casa ou no trabalho.

    Para ficar mais fácil a sua compreensão, assista ao vídeo produzido pela TecMundo que resume em menos de dois minutos o significado de Internet das Coisas:

    Como funciona a Internet das Coisas?

    As chances de implementação são ilimitadas. Podemos utilizar a internet das coisas para integrar e solucionar problemas recorrentes em uma empresa. Além de tornar a experiência dos turistas ainda mais integrada ao destino turístico, por exemplo.

    Grandes marcas que conhecemos hoje já estão utilizando as possibilidades que a IoT oferece, como a Samsung (Geladeiras inteligentes e SmartHome), a Apple (Apple Watch) e a Google (Google Home), mas como funciona esta integração?

    internet das coisas

    Fonte: samsung.com

    Chips, sensores e antenas são instalados em cada dispositivo para que a integração funcione de maneira adequada. Sem estes dispositivos o conceito de internet das coisas não entra em ação.

    Além disso, é preciso que você entenda que a base para a criação deste conceito está no entendimento da integração. Isto quer dizer que, sem uma comunicação integrada não podemos dizer que há Internet das coisas.

    Nas residências

    Sistemas de vigilâncias que informarão diretamente no seu celular se há alguma movimentação estranha enquanto você não está em casa, sensores para ligar luzes, abrir cortinas e ligar chuveiros. As opções são infinitas, visando a comodidade e a segurança do ambiente em questão.

    Na Saúde

    Usar um relógio que meça seu batimentos cardíacos e outros tipos de informações que são levadas diretamente para o seu médico, que lhe informa o próximo passo através de um clique ou uma mensagem. Ou, o próprio aplicativo informará que está na hora de você ingerir determinados níveis de proteínas e que há um supermercado próximo a sua localização, oferecendo a proteína necessária e com uma promoção imperdível.

    Como a Internet das Coisas se relaciona com o turismo?

    Algumas cidade inteligentes já utilizam a Internet das Coisas, assim como alguns hotéis e até cias áreas. O caminho é grande e ainda há muito oque ser aprendido sobre seus benefícios e funcionalidades.

    O turismo deve aproveitar destas ferramentes principalmente para solucionar problemas enfrentados, situações que antes eram mais burocráticas e podem ser agilizadas com a ajuda da IoT.

    3 exemplos de aplicações da IoT no turismo

    1. Rastreamento de bagagens pela Delta Airlines

    Por meio do aplicativo Fly Delta, o passageiro poderá acompanhar todo o percurso que está sendo feito de sua bagagem. Em caso de perda, o rastreamento também é possível, através do seu sistema de identificação por rádio frequência (Radio Frequency Identification).

    O interessante é que a Delta Airlines viu a oportunidade de utilizar a internet das coisas como uma solução ao problema que acontece com frequência entre as cias áreas, que é a perda de bagagens de passageiros.

    2. Marriot apresenta quartos conectados e realidade virtual com foco na experiência

    A Marriot apresentou recentemente um protótipo que chamou de “IoT Guestroom Lab”, desenvolvido no seu laboratório de inovação localizado em Bethesda, Maryland. O objetivo da Marriot é antecipar as necessidades dos hóspedes tornar suas experiências cada vez mais personalizáveis.

    Sem precisar levantar da cama, o hóspede poderá pedir um serviço de quarto, ajustar a temperatura do chuveiro ou ar condicionado e ainda realizar um aula de ioga.

    Essa não foi a única realização da Marriot, que também anunciou a implantações do VRoom Service, um óculos de realidade virtual que permite que o hóspede assista algumas viagens reais, realizadas também por hóspedes reais, em um combinação de narração e vídeo.

    O vídeo abaixo mostra um pouco da experiência do IoT Guestroom Lab. Aperta o play:

    Não muito diferente da proposta anterior, a Hilton também já anunciou que está experimentando a ideia do Room Connected em alguns hotéis da rede. Nos resta aguardar para ver o que virá de novo por parte da rede.

    3. Cidades inteligentes: Barcelona

    As cidades inteligentes também são importantes para o turismo e Barcelona pretende utilizar a internet das coisas para tornar o seu conceito ainda mais sólido, utilizando a tecnologia para criar espaços cada vez mais sustentáveis, além de tornar a região mais eficiente e isso inclui: energia (iluminação urbana), mobilidade, água, espaços públicos, um governo aberto, dentre outras áreas de foco.

    Agora, a cidade pretende utilizar a IoT para servir os cidadãos (e consequentemente os turistas), em todos os sentidos.

    O futuro da segurança e da privacidade

    Por mais que seus benefícios sejam notórios, há uma preocupação também em relação a privacidade do usuário/turista/cliente e sua segurança.

    Ter dispositivos cada vez mais integrados a vida pessoal e profissional das pessoas pode levar o indivíduo a uma grande vulnerabilidade quanto a sua privacidade. Uma vez que, para que a proposta funcione de maneira correta, muitos destes dispositivos precisam estar diretamente conectados a nossa rotina. Por isso, a segurança e a privacidade estão sendo questionadas toda vez que o assunto (IoT) é discutido.

    As empresas devem estar atentar a estes dois fatores, para garantir, principalmente a segurança dos usuários, diante de outras ferramentas tecnológicas que são usadas hoje para roubar informações, por exemplo.

    Dica: Se você deseja se aprofundar no assunto, assista ao filme “O Círculo”, com Ema Watson como protagonista, para ter a noção de como a Internet da Coisa pode afetar até mesmo nossas relações com amigos e famílias.

    Deixe uma resposta

    Seu email não será publicado.



    *

    Receba toda semana nossas dicas,
    entrevistas e ideias pra você inserir no turismo e na sua carreira.

  • Tá Tendo Evento

    A gente te conta quais os eventos estão acontecendo por aí pra você se programar com calma.
  • Inseri uma Ideia

    Fique de olho nas empresas fundadas e gerenciadas por turismólogxs. A próxima pode ser a sua!
  • Protagonismo

    Nossas dicas de currículo, entrevista e branding pessoal pra você.
  • |